Novo ministro da Saúde estuda diretrizes nacionais para comércio e serviços numa tentativa de barrar lockdown.

Brasília em Off: Guedes mergulha nas negociações da vacina
março 17, 2021
Primeira-dama, mulher do vice-presidente Hamilton Mourão vai às compras no Rio escoltada por seis seguranças.
março 20, 2021

Novo ministro da Saúde estuda diretrizes nacionais para comércio e serviços numa tentativa de barrar lockdown.

Sala de aula vazia

(JBCNEWS – DF 18/03) – Governo estuda maneira de coordenar restrições nacionais contra Covid-19, mas sem defender lockdown

Marcelo Queiroga, novo ministro, quer que governo edite regras sobre o tema

Novo ministro é pressionado a agir por governadores, que discordam do presidente Jair Bolsonaro sobre ações a serem tomadas

Sob a gestão de Marcelo Queiroga, novo ministro da Saúde, o governo estuda emitir diretrizes nacionais sobre o funcionamento de comércios e circulação de pessoas. A ideia é estipular protocolos sanitários para estabelecimentos comerciais, mas sem necessariamente dar endosso a restrições mais rígidas do que as praticadas hoje por governadores.

A interlocutores, Queiroga disse que é essencial que o governo edite regras, ainda que sejam apenas orientações, sobre o que pode e o que não pode ser feito nos estados. Ele manifestou ser contrário ao “lockdown” defendido por alguns secretários de saúde, mas falou sobre regras bem definidas para que estabelecimentos possam funcionar durante a pandemia do novo coronavirus.

Queiroga já recebeu pedido de governadores para que coordene orientações de restrição a nível nacional. Os gestores estaduais solicitaram uma agenda para debater o tema com o ministro. Alguns defendem o “lockdown”, ou seja, uma proibição geral de circulação, o que no Brasil não chegou a existir.

A elaboração de protocolos nacionais sobre distanciamento foi discutida na reunião com o presidente Jair Bolsonaro na última segunda-feira. O novo ministro demonstrou concordar com o argumento do presidente de que a atividade econômica não pode ser totalmente prejudicada por restrições de circulação. Ele acredita, porém, que é importante que o Ministério da Saúde dê alguma orientação sobre o assunto para os estados e municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *