Por que fala de Bolsonaro sobre Petrobras abre nova crise para o presidente

Câmara mantém prisão de deputado Daniel Silveira por ataques a ministros do STF
fevereiro 22, 2021
Pressionada a manter prisão de deputado, relatora diz que quer ouvir Silveira antes da decisão
fevereiro 22, 2021

Por que fala de Bolsonaro sobre Petrobras abre nova crise para o presidente

Após reafirmar que faria “mudanças” na Petrobras diante dos reajustes no preço dos combustíveis, o presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta sexta (19/02) a substituição do atual presidente da companhia, Roberto Castello Branco, pelo general Joaquim Silva e Luna.

Bolsonaro já havia criticado a empresa na quinta, durante uma live nas redes sociais, chamando de “excessivos” e “fora da curva” os aumentos anunciados horas antes pela estatal, que segue uma política de preços baseada no mercado internacional.

A gasolina e o óleo diesel ficaram, respectivamente, R $0,23 e R $0,34 mais caros — o litro nas refinarias passou a custar R $2,48 no caso do primeiro e, no do diesel, R $2,58. Ao comunicar o reajuste, a Petrobras afirmou que ele “é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

Bolsonaro chegou a dizer na sexta, em visita à cidade de Sertânia, em Pernambuco, que “jamais” interferiria “nesta grande empresa e na sua política de preços, mas o povo não pode ser surpreendido com certos reajustes”.

Os comentários do presidente foram mal recebidos pelo mercado: as ações da empresa na bolsa fecharam o pregão em queda de quase 8%, ainda antes do anúncio do militar como substituto de Castello Branco.

O mau humor se deve em parte à experiência recente de interferência do governo na estatal.

Entre 2011 e 2015, durante a gestão Dilma Rousseff (PT), a variação dos preços internacionais era repassada de forma defasada aos combustíveis no país, um mecanismo usado para tentar segurar o aumento da inflação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *